Seguidores e parceiros!!!!

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

A MESMICE DA REUNIÃO DE PAIS E MESTRES!!!!!


Não houve engano algum quanto ao título. Foi mesmice mesmo que eu quis dizer, como poderia ter qualificado como “chatérrima” ou mesmo “entediante”. O adjetivo é apenas um alerta para chamar a atenção do quanto temos que mudar a maneira de fazer as famosas “reuniões de pais e mestres”.

Você pode pensar: “a reunião de pais e mestres da minha escola é diferenciada, pois aplicamos algumas dinâmicas com os pais, e para finalizar oferecemos comes e bebes”.
Mas não me refiro a esta inovação. Não é satisfatório saber que os pais comparecem à reunião porque vão se divertir participando das dinâmicas e ao final ainda vão ganhar um lanchinho.

O que precisa existir como válvula propulsora da reunião de pais e mestres é o interesse dos pais em participar ativamente da vida escolar do seu filho independente dele estar com problemas de aprendizagem ou de comportamento.

Temos que propiciar uma caminhada lado a lado efetivando uma cumplicidade entre pais, alunos e professores.

Há escolas que intimam a presença dos pais nas reuniões vinculando-a a entrega dos boletins. Estão agindo de forma antididática. Os pais não devem ser obrigados a ir, devem ir por vontade própria.

Há também o professor que inicia a reunião exaltando o paradigma da família do século passado. Este tipo de procedimento é desestimulante e provoca uma sensação de incompetência dos pais. O professor deve respeitar e orientar o modelo de família de hoje.

O que os pais realmente querem saber quando vão a uma reunião de pais e mestres é como a matéria está sendo ministrada; qual o retorno do seu filho frente à didática utilizada; que recursos o professor está utilizando para ensinar e qual é o olhar do professor para cada um dos seus alunos.

A família não quer mais o ensino massificado. Os alunos não devem ser encarados como uma multidão que caminha sem saber para onde. Cada vez mais necessitamos ser olhados como indivíduos e temos que saber qual a aplicabilidade do que está sendo ensinado.
Esta visão se encaixa tanto para o aluno quanto para os pais.

O pai tem que ter espaço para se manifestar. Ele tem que ser ouvido, pois sua dúvida pode ser a dúvida de muitos outros pais e é nesta ocasião que deve ser compartilhada.

Ouvir o pai, além de ser muito importante gera uma motivação maior, pois ele se sente participante resultando na troca de idéias e esclarecimentos.

É a escola que precisa favorecer esta abertura para que os pais caminhem junto no aprendizado do seu filho. Eles não sabem como devem proceder. Já fui testemunha de pais que querendo ser atuantes na formação educacional do seu filho acabaram atropelando o professor e criando até uma situação de animosidade entre eles. Há pais que ao fazer o trabalho de casa junto com os filhos se acham no direito de cobrar uma nota melhor.

Todas estas atitudes mostram como estão perdidos quanto a melhor maneira de ajudar seus filhos. Ninguém melhor que o professor para dar as coordenadas, e não há ocasião melhor do que a reunião de pais e mestres para orientá-los.

A escola precisa disponibilizar informações que oriente e possibilite o envolvimento dos pais estabelecendo uma relação construtiva com a escola.

A mudança deve começar pela disposição física da sala onde a reunião de pais e mestres será realizada. Assim como nas salas de aula, as carteiras devem ficar dispostas em círculo ou semicírculo, onde todos possam ver uns aos outros.

A reunião deve seguir como um delicioso bate-papo podendo, a qualquer momento, haver manifestações tanto de discordância quanto de dúvidas ou sugestões.

As reuniões tradicionais normalmente iniciam com as regras que devem ser cumpridas pelos pais e alunos. Em seguida há o pedido de uma participação mais ativa dos pais na vida escolar dos filhos sugerindo que acompanhem diariamente a lição de casa bem como orientem em épocas de provas e nos trabalhos sugeridos.

Ocorre que o pai irá atender este pedido provavelmente, durante a primeira semana. Da segunda semana em diante ele não se sentirá mais motivado a fazê-lo e justificará a sua não participação alegando que esta tarefa pertence ao professor.

Deverá a escola abrir as portas aos pais conferindo valor e respeito à diversidade. Sabe-se de uma maneira geral que o ser humano adora compartilhar os episódios que fizeram parte da sua história. Pode-se tirar proveito da diversidade tomando conhecimento das curiosidades trazidas pelos pais: dos lugares onde moraram, das diferenças no linguajar, nos costumes, na culinária e das histórias típicas de cada região. Todas estas contribuições são de uma riqueza imensa e completamente motivadoras para os pais e consequentemente para os filhos.

Então professores, vamos trazer os pais para dentro da escola e consolidar esta união de forças, que com certeza, quem sairá ganhando será principalmente o aluno.

Vamos fazer de nossas reuniões de pais e mestres, reuniões onde a empolgação, a cooperação, a participação estejam sempre presentes nos professores, nos pais e nos alunos.

(Texto de Cybele Meyer , do blog Educar Já, com adaptação de Teresa Carneiro)


7 comentários:

  1. OI VENHA COMEMORAR COMIGO EM MEUS BLOGS MINHAS CONQUISTAS....3 MIL E 8 MIL VISITAS!PEGUE OS SELOS PRA VC!BJS

    ResponderExcluir
  2. Oi amor!!! Realmente reunião de pais e mestres é um tédio só, se eu puder eu fujo mesmo!!!!
    Agradeço sua preocupação, aos poucos vou me refazer da tristeza de perder todo meu acervo.... é minha querida, eu tinha um tremendo acervo!!! No dia 14 quando eles liberarem vou fazer uma limpa em tudo que gosto e vou salvar da maneira mais velha e segura possível!!!kkk
    Continuo te amando... bjsss

    ResponderExcluir
  3. olá, tudo bem? mande por email o end da escola e onde entregar os livros.. é q eu acho q eles serão úteis p/alguém.. acho absurdo quem joga livros fora ..uma vez catei vários que estavam na calçada da rua pro lixeiro levar .. bjs LIN

    ResponderExcluir
  4. Teresa...Interessante a mudança de reuniões com pais.Mas te pergunto: o spais vão as reuniões? Aqui a realidade é diferente.As vezes imploramos para que os pais venham a escola.Normalmente os que comparesem são os pais de alunos bons. E não chamamos para apenas falar de espectos negativos,não...Ainda acho que muitos pais desconhecem como é a escola de seus filhos e nossas pritas estão abertas,tenho certeza!

    ResponderExcluir
  5. Teresa te achei no blog da Lê...olhando os seguidores dela e você é uma pedagoga como eu...bom sou uma ex...será??? Acabei pedagogia em Abril/2009...pode...não você realmente está na luta e eu não consegui continuar. Vou te seguir...te espero no meus blogs.
    Abraço
    Graça

    ResponderExcluir
  6. Adorei seu blog!
    Levei seu mascotinho... muito legal!
    To deixando o meu pra voce ver como ficou ok?
    Beijinhos
    http://gizeliamonteiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir

"ESCOLHER A EDUCAÇÃO É ASSUMIR O COMPROMISSO COM O ALUNO E CONSIGO MESMO!"