Seguidores e parceiros!!!!

sábado, 28 de agosto de 2010

Material utilizado em palestra 1

Olá pessoas.....
Ontem fiz um Encontro-palestra com os Professores na minha escola e o tema abordado foi:
Dislexia,TDA, TDAH e outras necessidades educacionais especiais
Destinado a Professores do Ensino Fundamental e Médio.
Foi muito bom e a troca foi maravilhosa....
A inclusão hoje em dia é real e se faz presente, quanto mais estivermos preparados, mais fácil será para todos....
Aos poucos vou divulgando o material por aqui...
Bjs
Teresa Carneiro

1- Depoimento de um portador de TDAH


Minha Vida


Ele era uma criança levada, que não parava no lugar e não se concentrava em nada. Diziam que ele era hiperativo, mas pera aí? Como podia ser hiperativo uma criança que ao jogar videogame ou assistir um jogo do Flamengo na televisão ficava horas e horas parada sem ao menos piscar os olhos?

"Mal educado!!!”“ Sem limites!!!!" "Capeta!!!!" "Disperso!!!!" "Louco!!!" eram frases que ele comumente ouvia.

Ele sofria com isso, porém, sempre se considerou como os outros, pois tinha uma vida parecida com a dos seus amigos, mesmos hábitos, costumes, cultura, mas sempre fazendo as coisas muitas vezes sem pensar. Mesmo assim, ele não era somente defeitos, assim como perdia amigos facilmente, os recuperava com seu carisma e sua inteligência.

Inteligência que incomodava a muitos, pois não o viam estudar muito, se empenhar e mesmo assim colher como frutos, bons resultados... "Mas espera aí, ele nunca pode ser um bom aluno!" "Ele só pode estar colando".

Eis então que ele cresceu, a criança hiperativa mal educada virou um jovem. Ele, agora mais velho, continuava tendo muitos amigos. Saía se divertia e jogava muito bem futebol, algo em que definitivamente se concentrava e parecia até uma pessoa "normal"; ele era o capitão de seu time da escola, exercia toda sua liderança em quadra e se orgulhava muito disso.

Na sala de aula, parecia que sua liderança se tornava algo negativo, o fazia não ter forças para estudar, para prestar atenção, atrapalhava a turma, desconcentrava os professores e criava muitas inimizades. Inimizades essas que não acreditavam como ele podia obter bons resultados. E as vitimas de sua tenebrosa atitude sem limites? Ele não pode corresponder às expectativas.

Ele era o capitão do time, ele era querido.....

Ele era um menino problema; em sala de aula, ele era odiado.


Como sua vida não era feita só de futebol, ele foi campeão no campo, e foi derrotado fora dele; foi perseguido como um bandido sem direito a legítima defesa, afinal foi pego várias vezes em flagrante, com sua maligna hiperatividade e sua temível impulsividade.

Orgulhosamente, foi lhe dado o veredicto final, como um juiz que dá uma sentença a um réu, sua reprovação em matemática foi ovacionada pelos guardiões da boa conduta e da paz escolar, e sua conseqüente saída da escola como um início de um novo ciclo de alegria, sem ele, aquele menino, que jogava bem futebol, mas somente isso.

Ele chorou, perdeu seus amigos, sua escola, mas mais do que tudo isso, perdeu sua autoconfiança.

Ele já estava se tornando um adulto, e por meios do destino sua mãe conheceu um médico que tratava de um tal “déficit de atenção”. Seria tão somente o 445º tipo de tratamento para curar aquele garoto-problema, algo que até o mesmo já estava praticamente convencido que era.

Mandaram-lhe tomar Ritalina, um remédio ruim, que tira fome, e que lhe daria mais atenção e blá blá blá !!! Algo que ele já estava cansado de ouvir. Ele tomou a medicação sem crença nenhuma naquilo.

E o tempo foi passando, ele vivendo sua vida, em uma nova escola, procurando seu lugar no time de futebol do colégio...

Em 4 anos ele se tornou capitão do time. E mais, foi campeão vencendo a sua ex-escola; se formou como um dos melhores alunos da turma, passou para a faculdade que queria, tirando nota 10 na prova de matemática, a matéria que o fez passar um dos seus piores momentos ao ser reprovado.


Hoje ele está na faculdade. Ele ainda tem muito que viver, com seu jeito hiperativo, desatento, mas agora controlado, sem deixar de ser ele mesmo. Ele vai vivendo, com o intuito de um dia poder mostrar que não era um bandido, um mal educado, nem um “sem limites”; era apenas uma pessoa diferente e, como todas outras pessoas diferentes, pode e deu certo na vida.

Hoje ele é feliz, tem uma namorada, estuda o que gosta, tem muitos amigos, sua família se orgulha dele e, acima de tudo, ele próprio sabe o que tem e vive feliz com a sua realidade.

Ele deseja que o que ele sofreu, outras pessoas não sofram um dia.

Ele?

Sou eu...

Beto





8 comentários:

  1. Hi Teresa. How then are you? I am fine. Matýsek a lot of growing. And sometimes even a bit angry, like any kid. Hi Radka.

    ResponderExcluir
  2. Olá Teresa,
    boa noite,

    Li todo texto sobre "Depoimento de um portador de TDAH". Eu sei da existência deste problema, mas não sabia sua terminologia. Realmente medidas educacionais precisam ser implementadas. Creio que neste caso palestras educacionais são primordiais para o assunto.
    Através da sua publicação tive um conhecimento p/ amplo do problema.

    Tenha um abençoado fim de semana.

    beijos
    Suely

    ResponderExcluir
  3. Olá tereza, tenho uma filha de 12 anos que ja foi espulsa da escola,eu era chamada na escola pelo menos uma 2 vezes na semana ate que conheci um medico que trata de passiente com TDH,foi um milagre na nossas vidas.
    acho que as escolas deveriam se enformar mais sobre TDH porque quem nao tem conhecimento passa por muitas umilhaçao como nos passamos
    um abraço

    ResponderExcluir
  4. Olá Teresa,
    Boa tarde,

    Vc é muito especial e Deus tem grandes planos p/ sua preciosa vida.

    Tenha um domingo abençoado,

    beijos
    Suely

    ResponderExcluir
  5. Olá Teresa,
    tenho um filho de 10 anos e estou tendo problemas com ele na escola(em casa também, mas mais na escola!)...li seu texto e vi muito dele nele! Me apertou o coração mas ao mesmo tempo me deu esperanças... estou em curitiba, e a procura de especialistas pra ajudar meu filho... se vc tiver algum conselho pra me dar será muito bem vindo!
    muito obrigada
    Vanessa

    ResponderExcluir
  6. Olá Vanessa.....que bom que a postagem te ajudou um pouco!
    Voce me pediu um conselho e vou te dar 2...rsrsrsrs
    Tenha muita paciência com seu filho e se puder leia o livro No Mundo da Lua de Paulo Mattos....é uma leitura fácil de entender e tira muitas dúvidas sobre TDA e TDAH...vc vai gostar!
    Se quiser deixe seu email para trocarmos ideias ok?bjs Teresa Carneiro

    ResponderExcluir
  7. Olá Teresa... obrigada, vou ler sim!!! E concordo com vc que paciência é a palavra chave(não que seja fácil!!)!!!rsrs
    meu e-mail: vmdo77@hotmail.com conselhos, opiniões e dicas são sempre bem vindos!!!
    obrigada
    bjs
    Vanessa

    ResponderExcluir

"ESCOLHER A EDUCAÇÃO É ASSUMIR O COMPROMISSO COM O ALUNO E CONSIGO MESMO!"